14.12.14

O bichinho do agility

Verdade seja dita, praticamente não mexi nesse blog desde sua criação ou sequer fiz uma introdução pra ele. Porém, como toda boa blogueira, solto a vaga promessa de que tentarei manter uma certa frequência de posts. Pra ser sincera nem sei qual a relevância dos blogs atualmente mas admito que pouco me importa. O que me interessa é a possibilidade de registro, coisa que o blog ainda faz muito bem. Sei lá, eu poderia fazer um Tumblr, mas e a preguiça pra mudar tudo de lugar? Talvez eu ainda faça isso...

Bom, pra quem não me conhece e gostaria de saber o motivo da existência desse blog, leia aqui: Sobre Mim

Previously on Caroland:  
No final de 2013 minha família canina cresceu; coisa que não acontecia desde 2005, quando tinha meus 14 anos e havia acabado de ganhar o Nick (Sobre o Nick). O cão que veio pra mim dessa vez foi o Java, um Border Collie marrom e branco, cheio de pintinhas e lindo de morrer (cof cof).

Java e suas pintas! <3
Foto: Anna Carolina Engelke
Com o Java veio também um hobby, o Agility. Ok, um hobby não, minha mais nova obsessão e motivo de ruína finaceira. :) Quando peguei o meu marrom já tinha nos planos praticar esse esporte com ele, assim como frisbee e outras atividades, maaaaas, como tudo que você planeja raramente sai como o esperado, foi o bichinho do Agility que realmente nos "picou", como dizem os agiliteiros. Eu mesma já disse que emagreci por causa desse esporte, mas admito que poderia ter sido mais.... :P

Eu sabia que meu tempo livre e meus finais de semana jamais seriam os mesmos depois que conduzi o Kadu, da Marcela Françoso, em janeiro desse ano. (Valeu, Ma, por emprestar seu robô de bolinhas!)


  (já aprendi que não devemos fazer agility de All Star. Esse não é o tênis da moda no esporte)

Desde a chegada do Java, comecei a trabalhar com ele, ensinar os comandos básicos, truques e outros que seriam úteis pro Agility eventualmente. Consumi livros e DVDs aos montes sobre o assunto na tentativa de começarmos de uma forma produtiva e divertida tanto para o Java, como para mim. Dicas e sugestões, de amigos que já praticavam com seus cães, foram várias e definitivamente fizeram diferença nesse nosso começo. Posso dizer que estou bem assessorada para uma total noob no esporte. <3

Quando o Java fez 4 meses, começamos a brincar com túneis e saltos caseiros, feitos em PVC, no quintal de casa e em vários outros lugares, para que ele se acostumasse logo com a ideia de trabalhar em situações com sons, cheiros, pessoas e cães diferentes. Seguimos assim até o Java completar 6 meses, mais ou menos, quando decidi que era hora de ter aulas semanais em uma escola de agility, no Espaço Ducão, com o José Luis Filho (só Filho, não tem sobrenome kkk).

Javolino posando no 2on2off. Só posando, mesmo, porque
gangorra ele não faz (ainda)

Hoje o Java tem 1 ano e 2 meses (14 meses) e já começaram as perguntas a respeito da nossa estreia no Agility, mas ainda temos muito trabalho pela frente pra pensarmos nisso. Agora, com as férias, o plano é treinar mais e ensinar as coisas que faltam, que são muitas. Definitivamente, esse quase um ano de imersão no mundo do Agility tem sido bastante intenso, divertido e especial. As barreiras que venho encontrando nos treinos estão servindo de aprendizado tanto para o esporte, como para a vida, mesmo.

Como novata, já me sinto parte dessa loucura que tantos outros parecem compartilhar. Mesmo sem competir, fui a diversas provas para poder socializar(não só o Java!!!). Fiz alguns amigos que pretendo carregar comigo por um longo tempo e me considero uma humana feliz pelo que o Agility trouxe pra mim. Esse é só o começo.

Não vou mentir; já rolaram momentos em que tentei cortar os próprios pulsos com uma faquinha de rocambole, daquelas de plástico, inúteis. Então, é, vou mandar uma lambida do Java pra cada um dos amigos que tiveram paciência comigo (ou deram voadoras) em momentos de pânico. Vocês sabem quem são e que tem mais "mimimi" guardado pra vocês ainda! :B

Em outros posts pretendo falar mais sobre o Java, sobre nossos treinos, sobre as nóias, as dificuldades e todo o resto que acompanha o combo. Como disse, quero ter esse blog como registro pessoal mas vai que um dia ele ajuda alguém como eu, que também está começando?



Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Curti demais! Sucesso para dupla! bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Avelinoooooo, meu deus! Que saudade de você!!!!!

      Excluir
  2. Olha Carol, o blog é um ótimo meio de deixar registrado tudo o que você faz, é meio que um diário e é muito gostoso poder ler depois. Também pode ajudar outras pessoas que podem estar passando pela mesma situação e assim você divide suas angustias. Boa sorte e vida longa para o Blog!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem fale, Vívian! Posts angustiados serão muitos, tenho certeza! HAHA Mas gostei muito de escrever esse primeiro post e estou louca pra publicar os próximos! Obrigada pelo incentivo!

      Excluir